Coluna de: Dr. Marcelo Rosauro - CRM 83.391 - Cardiologia

O sangue transporta e entrega oxigênio e nutrientes a todas as células, percorrendo uma densa rede de vasos sanguíneos presentes em todos os tecidos.
Pressão Arterial é a força que faz o sangue circular por todo o corpo!
Quando pensamos em pressão arterial o primeiro órgão que vem em nossa mente é o coração.
Costuma ser uma surpresa muito grande, para a maioria dos pacientes, o momento durante a consulta em que revelo que o coração não é o responsável pela hipertensão arterial, e sim, quando muito, apenas a primeira vítima.
Realmente a contração cardíaca gera a pressão que expulsa o sangue de dentro do coração em direção ao sistema vascular, mas o nível da pressão é determinado por uma relação entre a quantidade de sangue ejetado e a resistência ao fluxo que todos os vasos sanguíneos geram.
O sistema cardiovascular é muito mais complexo que simplesmente o coração, é composto também por todos os vasos sanguíneos do corpo e componentes reguladores dos níveis de pressão dispostos predominantemente nos rins e no sistema nervoso central. 
Em um coração saudável o volume de sangue ejetado varia junto com a frequência cardíaca.
A resistência ao fluxo sanguíneo gerada por todos os vasos sanguíneos é um importante fator determinante do nível de pressão arterial.
É o diâmetro dos vasos sanguíneos que basicamente determina a resistência ao fluxo sanguíneo.
Todos os fenômenos fisiológicos que levem ao aumento do diâmetro dos vasos sanguíneos, ou seja, vasodilatação, colaboram para a redução da pressão arterial.
De forma inversa, todos os fenômenos fisiológicos que levem à diminuição do diâmetro dos vasos sanguíneos, ou seja, vasoconstrição, colaboram para a elevação da pressão arterial.
Classicamente o calor de dias quentes, um banho ou sauna podem diminuir a pressão arterial, enquanto situações de exposição ao frio podem fazer a pressão arterial elevar.
Outras condições como estado de profundo relaxamento ou o período após uma refeição pesada também promovem vasodilatação e levam a queda da pressão arterial.
Já estados de tensão emocional, como ansiedade, nervosismo ou medo, promovem vasoconstrição levando a elevação da pressão arterial.
O sistema nervoso central e os rins têm mecanismos para controlar a pressão, monitorando seu nível e jogando na corrente sanguínea hormônios que interferem no funcionamento do coração e no diâmetro dos vasos sanguíneos.
Desses hormônios o mais conhecido é a adrenalina, cuja ação aumenta a força de contração do musculo cardíaco, eleva a frequência cardíaca e causa intensa vasoconstrição. É, portanto, um hormônio que faz a pressão arterial subir.
Dois termos técnicos são relevantes para se conversar sobre Hipertensão Arterial.
São eles: pressão arterial sistólica, é o nível mais elevado registrado nas aferições de pressão (gerada no momento da contração do coração, ação essa denominada de sístole) e pressão arterial diastólica, corresponde ao nível mais baixo registrado nas aferições de pressão, determinada no momento de relaxamento do músculo cardíaco, este período é denominado de diástole.
Quando dizemos que a pressão está 120 x 80, o primeiro valor corresponde a pressão sistólica e o segundo a diastólica (dizer 12 por 8 é uma abreviação).
O limite considerado normal de pressão arterial é de 130 para a sistólica e de 90 para a diastólica. Pressões superiores a esses limites já são consideradas como Hipertensão Arterial.
Quanto mais elevadas, maior a possibilidade de dano ao sistema cardiovascular.
Os órgãos que mais sofrem com a hipertensão arterial são o coração, o cérebro, os rins e as retinas.
Não diretamente, mas por agredir continuamente a parede dos vasos sanguíneos de cada um destes órgãos.
Quando uma pessoa recebe a informação de que está hipertensa, logo quer saber qual o medicamento que precisa tomar, mas, de todas as orientações que um médico pode passar referente a hipertensão arterial, a que considero mais importante é referente a relevância para a saúde do chamado “tratamento não medicamentoso”, que nada mais é do que assumir hábitos de vida saudáveis.
O tratamento não medicamentoso da Pressão Alta é, no mínimo, tão importante quanto o tratamento feito com remédios.
1.Caminhar regularmente, 30 minutos por dia, em um passo firme (não como quem está passeando no Shopping)
2.Moderar nas quantidades de sal das refeições (não há necessidade de se retirar o sal por completo)
3.Perder peso, sobretudo quem tem o azar de engordar mais na barriga, ou seja, se esforçar para diminuir a circunferência abdominal
4.Controlar o estresse, dormir bem, dar mais risada.
Hábitos de vida saudáveis trazem inúmeros benefícios, que vão muito além do auxílio no controle da Pressão Arterial.
Sua saúde é seu bem maior!

E-mail: marcelorosauro@gmail.com
 
 
 
 
megaron edecora

TV Bixiga News

TV BIXIGA NEWS

Entrevistas, comerciais, notícias e acontecimentos do bairro...

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR

Fotos Históricas

Última Edição